Alice Prosa e Poesia

Um pouco de mim...

Áudios

Lisbon revisited - Fernando pessoa - in italiano
Data: 15/02/2015
Créditos:
Texto original em português: Fernando Pessoa
tradução para o italiano: Antonio Tabucchi
tentativa da leitura: eu

LISBON REVISITED - em italiano

Não: não quero nada.
Já disse que não quero nada.
Não me venham com conclusões!
A única conclusão é morrer.

Não me tragam estéticas!
Não me falem em moral!
Tirem-me daqui a metafísica!
Não me apregoem sistemas completos
Não me enfileirem conquistas
Das ciências, (das ciências, Deus meu, das ciências!)
Das ciências, das artes, da civilização moderna!

Que mal fiz eu aos deuses todos?
Se têm a verdade, guardem-na!

Sou um técnico, mas tenho técnica só dentro da técnica.
Fora disso sou doido, com todo o direito a sê-lo.
Com todo o direito a sê-lo, ouviram?

Não me macem, por amor de Deus!

Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer cousa?

Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
Por que havermos de ir juntos?

Não me peguem no braço!
Não gosto que me peguem no braço. Quero ser sozinho.
Já disse que sou sozinho!
Ah, que maçada quererem que eu seja da companhia!



Tradução para o italiano: Antonio Tabucchi


No. Non voglio niente.
Ho già detto che non voglio niente.
Non mi venite fuori con concluisioni!
L’unica conclusione è morire,

Non mi portate estetiche!
Non mi parlate di morale!
Risparmiatemi la metafisica!
Non mi decantate sistemi completi, non mi snocciolate le conquiste
della scienza (della scienza, mio Dio, della scienza!) –
della scienza, delle arti, della civiltà moderna!

Che male ho fatto a tutti gli dèi?
Se avete la verità, tenetevela!

Sono un tecnico, ma ho tecnica solo dentro la tecnica.
A parte ciò sono pazzo, com tutto il diritto di esserlo.
Con tutto il diritto, capito?

Non mi seccate, per l’amor di Dio!

Mi volevate sposato, quotidiano e tassabile?
Mi volevate il contrario di questo, il contrario di qualcosa?
se fossi un altro vi asseconderei.
Così come sono, abbiate pazienza!
Andate al diavolo senza di me,
o lasciatemi andare al diavolo da solo!
Perchè dovremmo andarci assieme?

Non mi prendete per il braccio!
Non mi piace che mi si prenda per il braccio.
Voglio essere solo.
Ho già detto che sono solo da solo!
Ah, che seccatura che si voglia che io sia socievole!

Enviado por Alice Gomes em 13/06/2011



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras