Alice Prosa e Poesia

Um pouco de mim...

Textos

De pai pra filho
Terra, Terra! Planetinha
Houve um tempo em que eu achava
Que tu também eras minha
E eu te olhava, fascinado
E brincava, brincava
Corria, caía, levantava, agachava
Entendia tuas nuvens, sabia teus banhados
Tuas árvores, rainhas
Do meu reino encantado.

Bons tempos de fedelho...

Hoje me dizem: - Corta o cabelo!
Olha esta barba! Mantém a linha!
Veste esta roupa, que mais te convém!
Dá ao patrão tua patinha
Ganha dinheiro, muito dinheiro
Olha o mercado financeiro!
Cuida, cuida, que te roubam!
Esconde bem o teu vintém
Não olhes para os lados
Ninguém é parceiro de ninguém
Afia bem a tua espora, vai à rinha
Vence, vence! Mata, mata!
Não dês trela a forasteiro
Faz teu pé de meia e faze-o bem
De maneira  que todos invejem
A espora grossa que tens
Compra, compra, mostra, mostra
Teu poder, tua conta, teus bens
Mostra a tua envergadura
De homem macho sem frescura!
Corta o cabelo, olha esta barba, mantém a linha
Depois, ensina ao teu herdeiro
Esta mesma ladainha.

Terra, Terra! Planetinha
E, eu, que pensava seres minha...
Tanta cor, tanto ar, tanto cheiro!
Sonhei tanto uma andorinha
E me legaste um formigueiro.
Alice Gomes
Enviado por Alice Gomes em 13/09/2016
Alterado em 13/09/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras