Alice Prosa e Poesia

Um pouco de mim...

Textos

Sabe aquela história?
Sabe aquela história de que pessoas ou coisas
só ficam na vida da gente o tempo necessário?
E que quando começa a doer
é porque o tempo de ser tá se acabando
já tá indo embora?

Aprendi, ultimamente, umas  liçõezinhas
aqui e ali, e olha que interessante:
por incrível que pareça  já não anda me doendo
o quanto me doía antigamente
o fato de ainda ter a ver contigo ...

Um dia desses descobri um lance aí do Feng Chui
sobre só se preservar  um objeto por um de três motivos:

- Por ser muito bonito de se ver
e que sua beleza seja tanta e tão rara
que só de olhar pra ele já te faça esquecer
de toda feiura que há lá fora

- Por  te ser muito útil e se o uso constante
facilitar a tua vida,
então conserva ele sempre à vista
e em muito bom estado.                      

- Ou que ele te lembre algum momento
que, de tão extraordinário,
todas as vezes que você olhar pra ele
vai se lembrar que nesse dia
valeu a pena ter vivido.
Mas, este, apenas se não trouxer consigo
um depois nele esporado.

Fora isso, joga fora.
Mesmo caro, já não te serve,
joga fora.
Dá pra alguém mais necessitado
ou simplesmente joga fora.  

Se já não te faz feliz é brasa  que esfriou
é luz que se apagou.
Segue  em frente
isola.

Coisa-pessoa, pessoa-coisa...
independente de que  lado  se esteja na história,
se doeu, já passou da hora de jogar fora.

Tenho pensado muito no preço
de cada uma das bobagens
que otários como eu  a elas se agarram,
e no peso  de toda essa tralha
que alguns chamariam relicário.

E minha cozinha, sala, quarto
vão se arejando
à medida que desocupo o teu espaço.

Alice Gomes
Enviado por Alice Gomes em 29/05/2017
Alterado em 29/05/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras